Archive for the ‘Segurança’ Category

Pilotos dormem em vôo. Novamente!!!

27/06/2008
Dupla tirou ‘soneca’ e teve de ser acordada pela torre de controle.

Autoridades negam e dizem que houve apenas uma ‘falha de comunicação’.

Um avião da Air India que deveria pousar em Mumbai passou do destino e seguiu em direção a Goa porque seus dois pilotos estavam dormindo. Eles tiveram de ser acordados pelo controle de tráfego aéreo, segundo o jornal “The Times of India”. O caso ocorreu duas semanas atrás, mas foi revelado pelo jornal apenas nesta quinta-feira 26/06/2008. Cerca de 100 passageiros estavam a bordo quando o incidente ocorreu. O avião partiu de Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, e se dirigia na direção da cidade indiana de Jaipur antes de virar para Mumbai. Neste ponto, ambos os pilotos teriam adormecido. “Depois de ter feito um vôo de madrugada, o nível de fadiga subiu – e os pilotos adormeceram”, disse a fonte, que não foi identificada pelo jornal. O avião voou para Mumbai no piloto automático e, quando os controladores de vôo tentaram ajudá-lo a pousar, os pilotos pareciam ignorar as instruções e seguiam em velocidade máxima e sem baixar de atitude rumo a Goa. Finalmente, o controle de tráfico soou um alarme que acordou os pilotos, e eles viraram a aeronave rumo ao destino certo. A Air India disse que estava coletando informações sobre o incidente. O responsável pelo aeroporto de Mumbai disse que o avião sofreu uma “falha de comunicação” e que os pilotos não tiraram uma soneca a bordo. Mas algumas fontes disseram ao jornal que as autoridades estavam tentando esconder o caso.

Fonte: AP

Fôgo em motor de Airbus pouco antes da decolagem no Catar

10/06/2008

O Airbus A300-600, prefixo A7-ABW, da Qatar Airways, vôo QR521, que ia de Cartum (Sudão) para Doha (Catar) com 98 passageiros, estava na pista pronto para a decolagem, quando chamas foram notadas a do lado esquerdo do motor.
O fogo foi visto pelos passageiros e pela torre de controle.
Os passageiros foram imediatamente evacuados e rapidamente os bombeiros controlaram o fogo. Nenhuma lesão foi oficialmente comunicadas (ao contrário relatórios iniciais que informavam que um passageiro que recebeu queimaduras leves).

Fonte: AV Herald

Cancelados vôos no Uruguai devido às cinzas do vulcão Chaitén

12/05/2008

Várias empresas aéreas cancelaram seus vôos em Montevidéu devido às cinzas do vulcão chileno Chaitén, informou a direção do Aeroporto Internacional de Carrasco de Montevidéu.

“Neste momento cinco vôos estão cancelados”, disse um porta-voz do terminal aéreo, entre eles um da companhia aérea americana American Airlines com destino a Miami, escala em Buenos Aires, e da empresa uruguaia Pluna, também em direção à capital argentina “devido à baixa visibilidade nas vias de navegação”.
O Departamento Nacional de Meteorologia ainda não tem dados completos sobre a situação.
“Estamos na expectativa. Nós não contamos com recursos para fazer medições, por isso aguardamos um aviso da Argentina”, disse uma porta-voz.
O Chaitén é um maciço da Cordilheira dos Andes, limite natural entre a Argentina e o Chile, que entrou em erupção na semana passada e que se mantinha m atividade, ameaçando piorar o estado de emergência na região.
As autoridades chilenas fecharam nesta sexta-feira o acesso ao povoado de Chaitén, ao sul, onde ficaram apenas animais após a retirada de mais de quatro mil pessoas.
As cinzas do vulcão, que chegaram até Buenos Aires, afetam também as províncias argentinas de Chubut, Rio Negro e Neuqúen (sul), Mendoza (oeste), La Pampa e San Luis (centro).

Fonte: Yahoo

Passageiros em pânico em vôo da Air Zimbabwe

10/05/2008

Houve pânico e ansiedade entre os passageiros e trabalhadores no Aeroporto Internacional Kamuzu, em Lilongwe, Malawi, na manhã de quinta-feira 08/05/08 quando os pneus traseiros de um Boeing 767-200ER da Air Zimbabue pegaram fogo.
O avião proveniente de Harare, Zimbabue destino a Londres, Inglaterra tinha 91 passageiros e 11 tripulantes a bordo.
Testemunhas disseram que aves foram sugadas em um de seus motores, assim causando uma pane total.
Após o incidente, o piloto imediatamente fez um pouso de emergência que resultou na explosão de seus oito pneus traseiros e no início do fogo.
Depois da extinção do fogo, policiais e funcionários da aviação civil correram para o avião para avaliar os passageiros que estavam assustados e confusos, mas em segurança.
No mês passado, o mesmo Boeing 767-200ER não conseguiu aterrissar no mesmo aeroporto e foi obrigado a dirigir-se para Harare após o Departamento de Aviação Civil não poder fornecer cobertura de emergência.
A Air Zimbabue, privatizada em 1997, é a maior companhia aérea do país, com dois Boeing 767-200ER e três Boeing 737’s. Ela também tem em sua frota um sexto um avião, um BAe 146.

Fonte:Desastresaereos.news

Passageiro amarrado

29/04/2008


Parece coisa de filme, mas aconteceu de verdade. Passageiros de um vôo entre Hong Kong e Los Angeles ajudaram a dominar e a imobilizar com fita adesiva de alta resistência um homem que havia se atracado com uma comissária de bordo. O vôo era da United e o passageiro encrenqueiro foi preso assim que a aeronave pousou em LAX. Não ficou claro a causa do ataque, mas outros passageiros disseram que o agressor havia bebido bastante durante todo o vôo e que, aparentemente, teria ficado enfurecido quando a comissária avisou que não daria mais bebida. Nas empresas americanas, bebidas alcóolicas são cobradas pela tripulação na hora da distribuição aos passageiros. Em média, uma dose (aquelas garrafinhas pequenas) sai por US$ 5. Como se pode ver nesse caso, a obrigação de vender não é mais imperiosa que a de proteger quem está viajando de bêbados indesejáveis. Além de ser imobilizado com fita adesiva, o passageiro seguramente vai enfrentar um processo pesado na Justiça. Desde o 11 de setembro, incidentes dessa natureza são tratados com o máximo rigor.

Fonte: JB Online

Anac proíbe pilotos e co-pilotos de recepcionarem passageiros no ‘tapete vermelho’ das companhias

18/04/2008

Uma resolução publicada nesta quinta-feira pela ANAC, põe fim a uma polêmica acirrada entre aeronautas, entidades ligadas à segurança aérea e as companhias de aviação, principalmente a TAM. A Anac proibiu definitivamente que o piloto e co-piloto recepcionem os passageiros no chamado “tapete vermelho” do embarque das aeronaves.
De acordo com entidades como a Associação Brasileira de Parentes e Amigos das Vítimas de Acidentes Aéreos, Associação dos Familiares e Amigos das Vitimas do Vôo JJ 3054 e Sindicato Nacional dos Aeronautas, fazer com que o piloto e o co-piloto deixem a cabine para dar boas-vindas aos passageiros no período em que eles deveriam estar cuidando dos preparativos da viagem diminui a segurança do vôo.

A decisão da Anac, tomada na reunião de diretoria realizada na segunda-feira, foi publicada na página 37 da Seção 1 do “Diário Oficial da União” de quinta-feira. Trata-se da resolução de número 24, assinada no dia 16 de abril, pela diretora-presidente da Anac, Solange Paiva Vieira.

O texto diz:
“A diretoria da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no uso da competência que lhe conferem o inciso VIII do art. 7º e o inciso I do art. 101, ambos do Regimento Interno, aprovado pela Resolução nº 1, de 18 de abril de 2006, tendo em vista o disposto no inciso X do art. 8º da Lei nº 11.182, de 27 de setembro de 2005, e considerando a decisão prolatada na Reunião de Diretoria de 14 de abril de 2008, resolve:
Art. 1° Fica proibido o afastamento dos tripulantes técnicos da cabine de comando para recepção de passageiros durante a preparação da aeronave para o vôo.
“Art. 2° Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação.”

Fonte: Globo Online

A importância de usar cinto o tempo todo

10/04/2008

O incidente foi comum, e não mereceria a nossa atenção se não incluísse, no relatório oficial apresentado pelo piloto, um dado interessante sobre as turbulências durante vôos. Há uma forte suspeita entre os especialistas de que, estatisticamente, esse tipo de fenômeno já é responsável pelo maior número de ferimentos em aviação, causados, sobretudo, pelo hábito de desafivelar o cinto quando a luz de alerta acima das poltronas é apagada.
No dia 24 de fevereiro, um B737 da Southwest em aproximação para o aeroporto McCarran, em Las Vegas, reportou incidente de turbulência severa a bordo, pedindo a presença de para-médicos após o pouso. O vôo 2809 pousou sem problemas ou avarias, mas cinco passageiros e uma comissárias tiveram de passar pelo atendimento médico, todos com ferimentos leves. Os outros 132 nada sofreram.
De acordo com os relatórios, dois dos medicados estavam com os cintos afivelados, mas no momento da turbulência, a 11.400 pés, o equipamento se abriu pela pressão (quem conhece o sistema acha difícil considerar que não seja resultado de mau travamento involuntário). Os outros ou estavam de pé (caso da comissária, que começava a conferir assentos e cintos para o pouso).
O melhor do relatório está no final. Os cálculos indicam que no momento da turbulência (quando a aeronave cai em um “vácuo”) os passageiros foram submetidos a uma aceleração vertical de -0,76 g, seguida de um pico inverso de + 1,76 g por dois segundos. É uma senhora sacudida e vale para reforçar a necessidade de continuar com o cinto afivelado mesmo que o sinal luminoso se apague.

Clique na imagem acima para ver a simulação.

Via: V.E.

Anac faz simulação de acidente no Aeroporto Castro Pinto – Paraiba

04/04/2008

Vinte e cinco minutos. Este foi o tempo que durou toda a simulação de resgate de acidente com uma aeronave realizada, ontem 03/04/08 pela manhã, no Aeroporto Internacional Castro Pinto (SBJP), na Paraíba. Todo ano, segundo o superintendente do aeroporto, Adilson Pereira, a ANAC realiza este tipo de teste para avaliar o desempenho do Aeroporto.
As pessoas que participaram da simulação são concluintes do Curso de Voluntários de Emergência (CVE) oferecido pela Infraero.
A simulação foi de uma aeronave fictícia que trazia a bordo 20 pessoas. O avião teria comunicado à Torre do Aeroporto Castro Pinto que estava com problemas. Passado alguns segundos, é simulada uma explosão nas imediações do Castro Pinto. Para isso foram utilizados cerca de 1.500 litros de diesel, além de gasolina. Entra em cena todo o aparato de emergência do Aeroporto. Os envolvidos na ação tentam desempenhar ao máximo suas funções, como se fosse um fato real.

Fonte: O Norte

Japão pede revisão da segurança de seus Boeing 737

27/03/2008

O Japão pediu para quatro companhias aéreas inspecionarem as medidas de segurança de todos os aviões Boeing das séries 737-300 e 737-500 antes de 6 de julho.
A decisão do Ministério da Terra, Infra-estrutura e Transporte foi motivada por um alerta emitido pela Administração da Aviação dos Estados Unidos na qual pede a inspeção desses aviões.
Em agosto do ano passado, um Boeing 737 da China Airlines se incendiou no aeroporto de Naha (Okinawa). Acredita-se que a causa seja uma peça que se soltou e provocou vazamento de combustível.
O governo japonês pediu às quatro companhias locais para que examinem m detalhes seus aviões.

As companhias envolvidas são Air Nippon, Japan Transocean, Skynet Asia Airways e Hokkaido International Airlines, que no total, possuem 32 Boeing 737-400 e 25 modelos 737-500.

Fonte: EFE

Dormindo, pilotos perdem a pista no Havaí

27/03/2008


Os pilotos de um vôo interno no Havaí pregaram um susto em tanto nos passageiros e no controle de vôo das ilhas do Pacífico. O vôo Honolulu-Hilo ficou sem comunicação e só a retomou depois de 11 tentativas de chamadas, em quinze minutos de silencio. Quando o contato finalmente foi restabelecido, a aeronave havia passado 60 milhas do destino a uma altitude de 21 mil pés. A companhia era a Go!. Investigadores apuram se os dois pilotos estavam dormindo durante o período sem contato. O vôo 1002 tinha apenas 214 milhas, mas 32 minutos depois, o controlador conseguiu recuperar o rádio e cobrou se havia alguma emergência a bordo. O comandante respondeu que não. O tempo estava bom durante o vôo e, segundo a FAA, não havia problemas mecânicos a bordo. A tripulação foi afastada do trabalho.

Fonte: http://www.aeronautas.org.br